sábado, 10 de julho de 2010

Acho que eu me esqueci.

Acho que eu esqueci de como era tudo antes de tudo acontecer. Antes de perder o ar, antes de perder o chão, antes de me perder em mim mesma. Antes mesmo de eu me empolgar com tudo aquilo e acabar me perdendo no meio de tanto sentimento.
Confesso que nesses últimos meses não foram nada fáceis e quando eu digo isso, é porque eles realmente não foram fáceis. Confesso que eu não estava no meio de altos e baixos, mas no meio de alturas normais e grandes abismos. E nos períodos que eu dizia que eu estava feliz da vida e recuperada, na verdade era o período que eu mais mentia pra mim mesma, dizendo que eu estava feliz. E eu digo: aquilo não era voluntário. Eu não fiquei dias pensando em como eu podia ser feliz e olhei no espelho e disse 'Já sei, eu posso mentir pra mim mesma dizendo que eu estou feliz'. Eu fazia tudo isso sem ao menos eu perceber, sem eu abrir os meus olhos para o que eu realmente estava sentindo.
Na verdade, eu mesma tinha fechado os olhos para o que eu mesma sentia e para o que estava se passando. Devia achar que assim tudo se resolveria sem eu ter que fazer nada. Mas como sempre, nada se resolvia. E sempre que eu abria os meus olhos, eu me sentia mal e via que nada tinha passado, que nada tinha sido resolvido.
E depois de tanto abrir e fechar os olhos e, principalmente, me decepcionar, alguém me fez o favor de abrir os meus olhos. De me falar que eu não podia ficar daquele jeito, que eu tinha que lutar. Que a mesma força que eu tinha pra ajudar alguém, eu tinha que ter pra me ajudar, pra me curar. E de uma forma muito carinhosa disse: "Ninguém fará isso por você". E prometeu me ajudar e ficar do meu lado mesmo quando não sabe o que fazer e que acredita em mim, mesmo quando eu mesma não acredito. Me disse que tudo daria certo, mesmo quando eu achei que não daria.
E com simples palavras e um poema, aquela pessoa conseguiu fazer brotar uma força dentro de mim. E sabe, eu não posso dizer que fui eu quem fez isso, porque não foi. Eu sei que é essa pessoa que me segura quando eu estou caindo e quando eu acho que nada vai mudar. É a pessoa que me disse que me levará para um belo jardim, onde a tristeza mora longe-ou nem mora.
E é isso o que me fez acordar me sentindo mais forte e mais feliz. E cada dia mais, eu sei que eu vou melhorar, que eu vou sorrir mais animada ou que eu estarei mais disposta a me curar. Porque agora, mais do que nunca, eu sei que eu sou a única pessoa que pode me mudar e por as minhas ideias no lugar. E a verdade é que: eu cansei de me sentir perdida. Agora eu só quero ver o sol brilhar forte, como lá fora.
Beatriz Hirata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário