sábado, 24 de julho de 2010

Quanta subjetividade!

E a gente nem percebe. Na verdade, o mundo todo deve ser uma grande subjetividade; algo que varia de pessoa pra pessoa. As coisas acabaram sendo firmadas na base da subjetividade de algumas pessoas.
Por exemplo: Bem e mal. Vamos considerar uma histária onde temos o mocinho e o vilão. Pro mocinho, as coisas que o vilão faz são ruins; prejudicam. E pro vilão as coisas que ele faz são boas; ajudam. A mesma coisa claro e escuro. Pra uma pessoa que gosta ambientes claros, um ambiente com meia luz é escuro. Já pra pessoa que gosta de ambientes escuros, o mesmo ambiente com meia luz é claro.
Então, na verdade, não exite muito uma coisa certa entre bem e mal/claro e escuro. Vai muito dois gostos das pessoas e das coisas que elas querem. Então, não se sinta mal se você não tiver dentro dos conceitos de alguém. Só lembre que você tem total liberdade pra ter a sua própria opnião.
Beatriz Hirata

PS: A beleza é a subjetividade dos olhos de quem vê. (Eu ouvi um professor dizendo isso.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário