terça-feira, 7 de setembro de 2010

Eu estou tão cheia e tão vazia.

Estou tão cheia de sentimentos, mas admito que não tenho nenhuma palavra pra descreve-los. É como se eu estivesse com medo, mas sem a angustia que eu geralmente sinto. É como se eu estivesse feliz, mas sem a sensação de voar. É como se eu tivesse envergonhada, mas sem saber o porque. É como se eu estivesse apaixonada, mas sem saber por quem. É como se o mundo parasse, mas continuasse rodando. É como se eu caisse e ficasse no mesmo lugar. É como se eu estivesse no mesmo lugar e continuasse andando. É como andar sem rumo, mas saber que se quer chegar a algum lugar. É como o seu coração bater sem sangue pra bombear. É como sangrar sem parar, mas não sair sangue algum. É como sofrer por algo, sem ao menos saber o que. É como saber de mais sobre os outros e nada sobre si mesmo. É como se estar angustiado e ainda se sentir bem. É como se sentir livre e preso. É como querer falar e não ter palavras. É como sentir seu coração bater e pedir algo, mas não conseguir ouvir o que ele quer falar. É como chorar sem lágrimas. É como ser apenas mais um e se sentir importante. É como viver e não viver. É ser um morto-vivo.
Beatriz Hirata

Nenhum comentário:

Postar um comentário